As circunstâncias em que vivemos actualmente colocam-nos numa situação completamente nova e inimaginável em todas as facetas das nossas vidas. Além dos fatores económicos, sociais ou emocionais, o desafio agora é preservar a nossa saúde, sem esquecer a definição da OMS: “A Saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, não apenas a ausência de doença”.

O confinamento em casa é apresentado como a principal medida contra a propagação do vírus com a qual reduzimos hábitos tão saudáveis quanto a exposição moderada ao sol, ar fresco, contato com a natureza, exercício físico… Assim, converter a nossa casa numa casa saudável, é essencial neste momento.

Propomos-lhe 4 medidas imediatas, simples e urgentes para melhorar a bio habitabilidade da sua casa:

1.Ventilar a casa

Deve fazê-lo várias vezes ao dia, especialmente após atividades que geram humidade (banho, limpezas…). Além disso, a concentração de pessoas é sinónimo de emissão de CO2, um gás prejudicial que reduz o bem-estar.

A ventilação cruzada (abertura de janelas em fachadas opostas simultaneamente) durante 10 minutos garante a renovação do ar suficiente para respirar ar saudável. Lembre-se de que o ar externo é sempre mais puro que o ar interno, especialmente nos dias de hoje com redução de tráfego e emissões industriais. Além disso, com as janelas abertas, consegue aproveitar a radiação solar ultravioleta necessária para sintetizar a vitamina D, tão importante para o equilíbrio de cálcio e fósforo.

Talvez more numa casa nova, que ainda não secou a humidade do trabalho, ou que foi recentemente pintada com tintas ou vernizes convencionais; talvez tenha aproveitado esses dias para realizar atividades de bricolage utilizando silicones, colas, betumes… A humidade do trabalho e a carga tóxica de todos estes produtos são uma séria ameaça à sua saúde; ventile a casa ainda mais vezes ao dia e combine-a com aquecimento para ajudar a secar e limitar o período de emissão de solventes tóxicos.

2. Substitua os produtos de limpeza convencionais por outros naturais

A carga química dos produtos de limpeza convencionais é alta e agora limpamos mais e com mais pessoas em casa, aumenta a inalação desses produtos tóxicos. Portanto, substitua os produtos de limpeza convencionais e perfumados por produtos naturais, como vinagre, bicarbonato ou sabão natural. O álcool a 70%, um substituto da lixivia, permite desinfetar maçanetas, torneiras, teclados, telefones…sem contaminar o ar interno.

3. Evite a contaminação eletromagnética

Remova ou mova qualquer dispositivo elétrico ou eletrónico a pelo menos 1,5 m de distância da cama enquanto descansa. O campo magnético alternado produzido, é reconhecido pela OMS como possivelmente cancerígeno, e a curta distância na nossa cabeça são uma ameaça que afeta milhões de pessoas.

Desconecte os aparelhos que tem perto do local de descanso; a lâmpada da mesa-de-cabeceira, o carregador telemóvel no quarto e outros, pois o campo elétrico alternado produzido pode ser excessivo. Nesse sentido, é possível que a cabeceira da sua cama apoie sobre uma parede com cablagem à altura da cabeça ou que seja a parede divisória com outra casa que tenha outra instalação elétrica ou talvez eletrodomésticos do outro lado da parede. Os campos elétricos e magnéticos produzidos podem ser muito altos; como solução urgente pode mover a cama alguns centímetros da parede, por exemplo. Na maioria dos casos, aumentar a distância da fonte emissora reduz bastante a radiação.

Desconecte o wifi e os restantes sistemas de transmissão de dados pelo menos quando não estiverem a ser utilizados ou durante a noite. Todas as tecnologias de transmissão sem fio funcionam por ondas eletromagnéticas que são prejudiciais ao organismo. O próximo passo seria substituir permanentemente a conexão sem fio por conexão com fio e “limitar” definitivamente a emissão dos nossos routers e dispositivos eletrónicos, o que requer um pouco mais de habilidade ou suporte profissional.

Da mesma forma, os telefones sem fio são os dispositivos que introduzem a maior poluição eletromagnética nas nossas casas há anos. Portanto, é melhor usar o telefone tradicional com fio. Se precisar de um pouco mais de mobilidade enquanto fala, existem dispositivos sem fio com “eco full” ou “eco DECT plus” que limitam a emissão de ondas eletromagnéticas pelo menos enquanto não estão em uso.

Um uso responsável do telefone móvel aumentará a nossa qualidade de vida, atual e futura; hábitos como ativar o “modo avião” à noite ou desativar o modo “wifi”, “dados” ou “bluetooth” enquanto não estiver a utilizar, usar o “mãos livres” enquanto fala ou deixar o telefone longe do corpo, são medidas que permitirão livrar-nos de uma dose significativa de poluição eletromagnética produzida pelos nossos telefones móveis.

4. Evite as humidades

E a última recomendação, talvez a mais crítica em termos dos seus efeitos no sistema respiratório e, portanto, uma resposta face ao coronavírus. Muitas casas são afetadas pela proliferação de humidade e bolores, visíveis ou invisíveis. Se o seu higrómetro indicar humidades habituais de mais de 70% no interior ou se houver manchas pretas nas paredes, deve de tomar medidas urgentes: desinfete as paredes ou tetos infestados de fungos com spray álcool a 70% (muito importante: não remova!) e intensifique a ventilação no início da manhã e no final da tarde, permitindo a entrada de ar mais frio no interior para promover a secagem das superfícies. Os fungos contaminam o ar interior com toxinas perigosas que afetam o sistema respiratório (asma, alergias…); e para eliminá-los deve perceber a sua causa assim que o confinamento terminar, contando com profissionais e tomando as medidas adequadas.

Todas estas medidas permitirão reduzir alguns dos fatores de risco que alteram a sua saúde e a das pessoas com quem vive. No entanto, ainda são medidas imediatas e provisórias que em muitas casas não serão suficientes.

Depois de tomar conhecimento da influência dos fatores ambientais da nossa casa na saúde, recomendamos que conte com profissionais para realizar uma análise individualizada da sua casa e propor as medidas necessárias para o seu saneamento.

Fonte: Associação Espanhola de Bioconstrução

Partilhar

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Leave a Reply