É sempre assim: o nosso ciclo acompanha o das estações do ano, pelo que quando o Inverno termina, arrumamos os casacos e esquecemos as preocupações com a cobertura. Certo? Acontece a todos… mas que tal aproveitar os dias de sol para evitar repetir aquelas chatices da estação do frio e da chuva? Se já considerou procurar uma maneira de esquecê-las de uma vez por todas – e se chegou a este blog – é também muito provável que esteja a pensar numa solução a longo prazo: a impermeabilização.

Impermeabilizar a cobertura da sua casa (ou do seu edifico) é a melhor forma de dizer adeus às incómodas infiltrações e goteiras. Este “guarda-chuva” não só manterá o seu lar seco, como também, graças à capa de isolamento que o acompanha, o ajudará a manter a temperatura agradável no interior durante os meses mais frios. Tudo vantagens, verdade?

Mas antes de nos lançarmos à ação, é importante saber como devemos atuar segundo o tipo de cobertura. Por isso, vejamos: transitável ou não transitável?

As coberturas transitáveis, como o seu nome sugere, são acessíveis ao trânsito de pessoas. Caracterizam-se pela proteção pesada e estável que têm na sua última capa. E que pode apresentar diferentes acabamentos: lajetas apoiadas diretamente sobre o suporte (betão) com ou sem isolamento térmico (XPS), lajetas sobre apoios (que podem ser reguláveis em altura), estrado (deck) de madeira, revestimento cerâmico, etc.

Neste tipo de cobertura pode-se, além disso, combinar com zonas ajardinadas.

Se este é o teu tipo de cobertura, o que primeiro se deve ter em conta é que a impermeabilização esteja devidamente separada desta capa transitável de que falámos. Isto consegue-se através de um geotêxtil de polipropileno – asseguramos que impressionará os profissionais da construção se utilizar este termo – capaz de resistir ás roturas por fricção derivadas das cargas mecânicas, para que dure muito tempo em perfeitas condições.

Nestes casos, a impermeabilização mais empregue é um sistema bicapa betuminoso SBS (duas membranas de betume elastómero).

Se este sistema for aplicado por cima do isolamento escolhido (mediante a aplicação de uma betonilha entre ambos) conseguiremos que o isolamento fique protegido 100% da água e que resulte numa solução totalmente eficiente.

E sobre as coberturas não transitáveis? Ao contrário dos anteriores, estas geralmente não são acessíveis, exceto para reparação e manutenção. Se este for o caso da sua casa ou edifício, a solução mais comum costuma ser a instalação de uma cobertura invertida (com isolamento sobre a impermeabilização e, portanto, exposto às intempéries), preservada com proteção pesada (godo, etc…)

Poderá também optar por soluções de impermeabilização com membranas betuminosas SBS (sistema BICAMADA) com autoproteção mineral. Neste caso, a impermeabilização ficará exposta à intempérie. As telas estão protegidas com um granulado mineral que poderá ser de várias cores e serão aplicadas sobre o isolamento térmico compatível.

Partilhar

Share on linkedin
LinkedIn
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Leave a Reply